Banner solar
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Associação de advogados nega intenção de ‘furar fila’ para obter vacina da Covid em Rondônia

CAARO, braço assistencial da OAB, pedia doação de vacinas para advogados do estado — Foto: OAB-RO/Divulgação

A Caixa de Assistência dos Advogados de Rondônia (CAARO) negou, nesta terça-feira (12), que tenha tentado “furar fila” para conseguir a vacina da Covid-19 e beneficiar a advocacia do estado. A acusação contra a entidade repercutiu na internet depois que um ofício da CAARO, enviado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), solicitou a doação de ao menos 5 mil doses da vacina de Oxford.

De acordo com a CAARO, braço assistencial da OAB Rondônia, o documento em questão teria sido mandado para a Fiocruz no mês de dezembro de 2020, quando não havia nenhum plano de vacinação no país.

Por causa disso, a Caixa de Assistência dos Advogados afirma ter manifestado “interesse em adquirir ou, caso não fosse comercializado, a doação de vacinas de institutos brasileiros que, em parceria com laboratórios estrangeiros, à época ainda intencionavam produzir a vacina”.

“Em nenhum momento desejamos ou planejamos ter a mínima intenção em retirar vacinas do sistema público ou mesmo ‘furar filas’ para beneficiar a advocacia e seus integrantes, até porque estamos buscando adquirir vacinas, seja de laboratórios internos, seja de laboratórios estrangeiros e, o ato vacinal se dará por nossa responsabilidade e custo, não utilizando nenhuma estrutura pública”, afirma a CAARO.

A entidade diz ainda que o objetivo do seu trabalho é cuidar dos advogados e advogadas de Rondônia, e isso já é feito há mais de oito anos, inclusive com a vacinação anual e em prevenção da gripe H1N1.

O ofício enviado pela CAARO para obter a vacina da Covid-19 foi negado pela Fiocruz. A fundação, fabricante da vacina de Oxford, alegou não ter autonomia nem para dedicar parte da produção à imunização de seus servidores e colaboradores.

Mesmo com a negativa da Fiocruz, a Caixa de Assistência dos Advogados diz que vai tentar obter a vacina contra o coronavírus.

“Esclarecemos que a advocacia rondoniense pode ficar segura que a CAARO está buscando meios de adquirir as vacinas que possam prevenir a doença e, assim que conseguirmos, iremos sim disponibilizar a todos os nossos colegas inscritos os quais, ao nosso ver, laboram em área de extremo risco, à exemplo de presídios e hospitais, onde podem tanto se contaminar como também levar contaminação a pessoas que se encontram confinadas e com baixa imunidade”, afirma o comunicado.

Vacina de Oxford

A vacina de Oxford ainda não está disponível no país. Na última sexta-feira (8), a Fiocruz entregou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de uso emergencial da vacina, que é desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford.

O pedido vale para 2 milhões de doses, que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia.

Caso receba a autorização da Anvisa, o imunizante deve ser comprado pelo Ministério da Saúde e as doses distribuídas para estados e municípios, de forma pública.

FONTE: G1

POR: RONDÔNIA EM AÇÃO

flash Net
Marmoraria Jaru
CYBER CONNECT
RW VEICULOS