JARU MOTOS

Ex-morador de Rondônia que havia se mudado para Mato Grosso para trabalhar como motorista de aplicativo é assassinado a tiros

O motorista de transporte por aplicativo Adilson Ferreira Machado, 42 anos, foi encontrado morto com tiros na cabeça, costas e mão, na madrugada de segunda-feira (28), em uma estrada de chão nas proximidades do rio Cuiabá, no bairro Vitória Régia, em Várzea Grande (MT).A vítima foi encontrada pelo irmão, que passou a procurar por ele após ver que a casa da vítima estava revirada e tinha manchas de sangue.

A Polícia Militar (PM) atendeu à ocorrência e comunicou o fato à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

A testemunha relatou que, ao chegar em casa, no bairro Fronteira, encontrou o imóvel todo revirado e com manchas de sangue. Como o irmão não estava em casa, ligou para ele imediatamente, porém, Adilson não atendeu mesmo com status de online no WhatsApp.

Muito preocupado, o irmão conseguiu rastrear o telefone da vítima, que apontava localização nas proximidades de uma ponte no final do bairro Vitória Régia. Ele comunicou à PM para que o acompanhasse até à região, porém, nada foi encontrado.

O irmão não desistiu e voltou sozinho ao local para fazer novas buscas, momento em que entrou na estrada de chão e viu Adilson morto, próximo ao rio, com diversas perfurações de arma de fogo pelo corpo.

À PM, a testemunha ressaltou que ele e o irmão são de Rondônia e se mudaram para a cidade para trabalharem como motoristas de aplicativo. Segundo informações, os dois irmãos eram moradores de Outro Preto do Oeste, cidade da região central de Rondônia.

Os peritos realizaram os trabalhos de análise do corpo e da região, para coletar evidências que ajudem a determinar as circunstâncias dos fatos e identificar os assassinos.

Em seguida, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia.

Ainda não há informações oficiais sobre a identidade dos possíveis assassinos e motivação para o crime.

O caso segue em investigação.

FONTE: FOLHA DO SUL
POR: RONDÔNIA EM AÇÃO

MULTI CRÉDITOS
FLASH NET