JARU MOTOS

URGENTE: objetos de casal executado em chacina são encontrados em outra área invadida; assassinato de “Nego Zen” perto do desfecho

Bolsa e coturno, além de outros objetos foram reconhecidos por familiares das vítimas.

Entre os materiais apreendidos hoje, numa área de conflito agrário onde um homem havia matado o próprio genro a tiros, estão objetos de algumas das vítimas de uma chacina registrada no mês passado, em uma fazenda próxima, pertencente ao município de Vilhena.

Um grande aparato policial foi mobilizado para recolher o corpo do homem assassinado e, durante a ação, armas de variados calibres e sacos de munições foram apreendidos. Pelo menos 20 pessoas, entre homens mulheres e crianças, foram trazidos para a Unisp de Vilhena, onde vários estão sendo interrogados pelo titular da Delegacia de Homicídios, Núbio Lopes.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e o Conselho Tutelar foram acionados para acompanhar o trabalho policial. Os menores foram trazidos para a cidade porque os pais, conduzidos ou presos, não tinham com quem deixá-los.

INDÍCIOS DA CHACINA

Além de uma arma, cuja numeração bate com a que foi levada da fazenda onde o empresário Heladio Cândido Senn, o “Nego Zen”, foi executado junto com a esposa, Sônia Biavatti e três empregados, objetos pessoais do casal, como bolsa e calçados, foram recuperados na terra ocupada por invasores.

Entre os objetos levados da fazenda de Nego Zen, e já reconhecidos pelos familiares dele, estão uma carabina de pressão, motosserras, bomba para a aplicação de defensivos, e um coturno que pertencia a Sônia. Balaclavas (toucas ninja) parecidas com as que teriam sido usadas pelos assassinos do casal, também foram recolhidas.

ACUSAÇÕES MÚTUAS

Embora o teor dos depoimentos não tenha sido divulgado, até porque os interrogatórios devem entrar madrugada adentro, o site apurou que, entre os invasores já há acusações mútuas de participações na chacina do mês passado. Pelo menos quatro homens do grupo são suspeitos de integrar o bando de assassinos. Eles teriam delatado os outros envolvidos no violento crime que chocou o Estado de Rondônia.

E A PICAPE?

A Polícia Militar, cujo Núcleo de Inteligência já tinha informações de que os objetos levados da fazenda onde aconteceu o massacre do casal e seus funcionários, estivesse na Linha do Escurão, palco do homicídio de ontem, continua a fazer buscas.

A intenção é confirmar a informação de que a picape Hilux de Nego Zen, levada após a execução dele, teria sido queimada e escondida numa região de mata.

FONTE: FOLHA DO SUL ON

POR: RONDÔNIA EM AÇÃO

MULTI CRÉDITOS
FLASH NET